18 de março de 2016

Eu MORO no BRASIL e quero uma PÁTRIA


Estamos diante de uma encruzilhada política. Assim como na vida, os caminhos se dividem em muitas pequenas veredas. Indignado com as minhas próprias escolhas do passado, já me decidi e tomei meu rumo, sem todavia deixar pra trás o caráter e a alma. Observador dos pequenos incidentes que se avolumam, aqui e acolá, tenho de dizer publicamente que respeito as escolhas alheias. Respeito meus amigos petistas, ainda que muitos, a meu ver, estejam apenas defendendo suas crenças com medo de um mal absoluto - a desilusão ideológica. Entretanto, não aprovo listas de perseguição. Não aprovo igrejas ou comitês queimados. Repudio as agressões e os vitupérios ensandecidos de qualquer das partes conflitantes. Só celebraremos algum ganho social se sairmos desse labirinto melhor do que entramos. Sem sangue nas mãos, sem ódio nos olhos, sem fraudes, sem culpas. Limpos. Puros. Sem palavrões e cartas de ameaça. Eu MORO no BRASIL e quero uma PÁTRIA e não um campo de concentração ou uma trincheira. Quero ganhar sem perder a ternura. Sigamos, juntos. 
(Marcelo Américo, Advogado e Licenciado em Letras)